fbpx

As pílulas anticoncepcionais causam queda capilar?

  Por Brenda Archanjo

O anticoncepcional é um dos métodos contraceptivos mais comuns de todos, perdendo apenas para a camisinha.

E como acontece com qualquer outro medicamento, a pílula anticoncepcional pode causar efeitos colaterais.

Bom, na verdade, é melhor corrigir essa frase: a pílula anticoncepcional pode causar MUITOS efeitos colaterais.

Para quem nunca viu a bula desse tipo de medicamento antes, ela é gigantesca.

Isso porque a fabricante é obrigada a informar às consumidoras todos os possíveis efeitos adversos que a pílula anticoncepcional pode causar.

Pergunte para qualquer conhecida sua que toma anticoncepcional se ela já experienciou algum desconforto por conta da medicação, e ela com certeza irá citar pelo menos um.

No que diz respeito à queda capilar, muitas mulheres ficam na dúvida se a pílula pode preveni-la ou ser a causadora.

Essa falta de esclarecimento pode ser muito prejudicial porque muitas vezes as mulheres gastam rios de dinheiro com tratamentos para a queda, quando na verdade a raiz do problema é o método contraceptivo escolhido

Pensando nisso, nós resolvemos responder de uma vez por todas qual é a relação entre o anticoncepcional e a queda capilar.

Se ficou curiosa para descobrir, é só continuar a leitura!

Como as pílulas anticoncepcionais agem no organismo?

Antes de qualquer coisa, é necessário entender como esse medicamento age para impedir a concepção.

As pílulas anticoncepcionais podem previnir a gravidez de algumas maneiras diferentes.

A maioria dos comprimidos possuem hormônios femininos sintéticos, como o estrogênio e a progesterona.

Normalmente, um aumento nos níveis de estrogênio faz com que um óvulo maduro deixe os ovários durante o ciclo menstrual da mulher.

Essa é a chamada ovulação.

As pílulas anticoncepcionais interrompem o aumento do estrogênio que causa a liberação desse óvulo.

Elas agem engrossando o muco ao redor do colo do útero, tornando mais difícil para os espermatozoides nadarem até o óvulo.

As pílulas anticoncepcionais também alteram o revestimento do útero. Se um óvulo é fertilizado, geralmente não consegue se implantar e crescer devido a essa mudança.

Tipos de pílulas anticoncepcionais

As pílulas anticoncepcionais vêm em duas formas diferentes, que são baseadas nos hormônios que contêm.

As minipílulas contêm apenas uma forma sintética da progesterona.

As pílulas anticoncepcionais combinadas contêm formas sintéticas de progesterona e estrogênio.

As minipílulas podem não prevenir a gravidez com a mesma eficácia que as pílulas combinadas.

As pílulas anticoncepcionais causam queda capilar?

Os anticoncepcionais podem causar queda capilar em mulheres que são sensíveis especificamente aos hormônios da pílula que estão tomando ou que têm histórico familiar de queda de cabelo relacionada aos hormônios.

O ciclo capilar é dividido em três fases: anágena, catágena e telógena. Os fios crescem durante a fase anágena e param de crescer na telógena.

A catágena é a fase de transição.

Durante a fase telógena, seu cabelo para de crescer por alguns meses e, após esse período, ele cai.

Durante esse ciclo são eliminados entre 25 e 100 fios diariamente, e isso pode durar até 100 dias.

As pílulas anticoncepcionais fazem com que o cabelo passe da fase de crescimento para a fase de repouso muito cedo e por um tempo muito prolongado.

Esse tipo de queda capilar é conhecida como eflúvio telógeno.

Se a calvície é comum na sua família, as pílulas anticoncepcionais podem acelerar ainda mais o processo de queda dos seus fios.

Injeções de hormônio, adesivos, aneis vaginais, DIU Mirena e implantes também podem causar o eflúvio telógeno ou piorar a calvície.

Basicamente, qualquer medicamento à base de hormônios.

Enquanto algumas mulheres sentem uma diminuição no volume capilar durante o uso do anticoncepcional, outras podem experienciar isso 3 a 6 meses após a suspensão do medicamento.

A perda de cabelo também pode acontecer após a mudança de um tipo de anticoncepcional para outro.

Resumindo…

Antes de começar a tomar qualquer anticoncepcional, considere seu histórico familiar e, de preferência, consulte um profissional de saúde de confiança.

Se você possui histórico de calvície na sua família, considere outros métodos contraceptivos que não possuem hormônios, como o DIU de cobre.

Caso prefira pílulas, procure as que contêm mais estrogênio do que progesterona.

Esse tipo possui baixo índice de androgênio e pode inclusive estimular o crescimento do cabelo, mantendo-o na fase anágena por mais tempo.

Porém, como essas pílulas podem ter outros efeitos colaterais, sempre converse sobre os riscos e benefícios com seu médico antes de tomar.

E aí, o que você achou desse post?

Seus fios já caíram com o uso de anticoncepcionais? Como você lidou com isso?

Compartilha sua história com a gente aqui nos comentários!

Dúvida? Opinião? Escreva um comentário