fbpx

Como lidar com a calvície precoce feminina

  Por Brenda Archanjo

A calvície é um problema muito mais comum entre os homens.

No entanto, as mulheres também podem sofrer com essa condição.

Mais do que isso, a calvície (ou alopecia) também pode surgir precocemente em mulheres

Assim, a calvície precoce é uma realidade comum entre muitas delas.

Quando paramos para pensar nisso, muitos questionamentos vêm à tona:

  • A calvície começa com quantos anos?
  • Quais sinais se evidenciam?
  • Existe alguma forma de tratar esse problema? Se sim, como?

Pensando em responder essas questões, hoje nós do Cresce Cabelo vamos analisar esse assunto de pertinho.

Por isso, acompanha a leitura desse artigo se quiser saber mais!

Sofrendo com a queda capilar? Experimente Jaborandi!

Calvície feminina

Sinais da calvície precoce feminina

A calvície aos 40 é uma realidade para muitas mulheres, pois, geralmente, é quando elas entram no período do climatério – ou menopausa, como também é chamado.

Sendo assim, os hormônios estão à flor da pele e começam a apresentar determinadas alterações.

Apesar de poder atingir pessoas do gênero feminino, a alopecia das mulheres é bem diferente quando comparada com a dos homens.

Essa distinção acontece porque a calvície feminina – sendo precoce ou não – caracteriza-se pelo afinamento dos fios e queda de cabelo na “coroa”.

Tais sinais são os principais e mais evidentes.

Assim, você, mulher, deve ficar atenta à eles já que é um indício para procurar orientação médica e, consequentemente, tratamento.

Isso porque a alopecia feminina afeta na autoestima da mulher sendo esta mais madura ou não.

A alopecia pode acontecer já durante a adolescência.

Nesses casos, a calvície aos 20 torna-se ainda mais evidente já que as madeixas começam a sofrer com o afinamento e quebrado dos fios que, por sua vez, contribui para a queda do cabelo.

Assim, será que há como prevenir?

Como prevenir a calvície precoce feminina?

A alopecia androgenética nos homens e nas mulheres é um problema decorrente da alteração da dinâmica de dois hormônios andrógenos: a di-hidrotestosterona e a testosterona.

Além disso, é também um problema de ordem hereditária que significa passar de geração em geração.

Diante dessas considerações, não existe uma maneira de prevenir as mulheres para, assim, evitar a calvície e as consequências à vaidade feminina.

No entanto, a calvície precoce feminina pode estar associada a outros fatores como gravidez, obesidade e ciclos menstruais irregulares.

Por isso, tentar manter uma vida saudável e realizar exames manualmente são formas de estar ciente ao que acontece, de fato, ao seu corpo.

Assim, você terá uma qualidade de vida maior.

Como tratar a calvície feminina?

A calvície feminina é uma condição que caracteriza-se pela queda de cabelo nas mulheres. Essa ideia, por si só, já faz com que a nossa autoestima se abale.

Isso, então, não é diferença na prática visto que os fios de cabelo fazem parte da estética e identidade delas.

Sendo assim, procure um médico especializado no assunto assim que notar os sinais da calvície feminina, os quais citamos anteriormente nesse artigo.

Assim, o profissional dermatológico é o mais indicado para prescrever estratégias para lidar com a alopecia da melhor forma possível.

Os métodos mais relevantes para tratar a calvície feminina correspondem, principalmente, ao uso de fármacos por via oral.

Além disso, substancias tópicas estimulantes, como o Minoxidil, também podem ser pensadas bem como, por fim, a realização de transplante capilar feminino.

Dessa maneira, as mulheres, mais que interromperem o processo de afinamento dos fios e queda deles, poderão reestruturar sua autoestima e reafirmar sua identidade à si e aos outros.

Tratar a calvície com remédios orais

Os medicamentos orais mais indicados para o tratamento da calvície são os têm função de inibir a ação da enzima 5-alfa-redutase.

Dessa maneira, estes fármacos contribuem para que os hormônios não sofram alterações e, com isso, evita-se os fios se enfraquecerem e caírem.

Embora geralmente apresente bons resultados, esses medicamentos orais são, geralmente, indicados apenas para homens.

Por isso, é importante ter acompanhamento médico para, assim, evitar possíveis danos piores que a alopecia.

Transplante capilar feminino

O transplante capilar feminino é um procedimento cirúrgico indicado apenas para mulheres que não tiveram resultados positivos e satisfatórios com o tratamento clínico.

Dessa maneira, o profissional especializado avaliará a possibilidade de realizar essa cirurgia e qual técnica usará.

As duas únicas técnicas para o transplante capilar feminino são a FUT e FUE. A FUT (Follicular Unit Transplantation) caracteriza-se pela remoção de uma faixa de cabelo da área doadora.

Assim, as unidades foliculares serão reimplantadas em uma nova área, a área receptora.

O outro método, por sua vez, é o FUE (Follicular Unit Extraction). Este corresponde na remoção de unidade foliculares por meio do uso de micro punches.

Esse equipamento possibilita que a cirurgia não deixe cicatrizes tão aparentes no paciente.

Minoxidil feminino

Outro método super comum para tratar a calvície corresponde ao uso de Minoxidil feminino.

O Minoxidil indicado para mulheres possui 2% de concentração na versão espuma (uso 2x ao dia) e 5% na versão loção (uso apenas 1x ao dia).

Embora sejam versões diferentes, as eficácias de todas são comprovadas.

Essa forma de tratar a calvície apresenta a possibilidade do aparecimento de reações adversas, como ressecamento na região da aplicação e vermelhidão no couro cabeludo.

O Minoxidil feminino em espuma, por sua vez, apresenta menos risco de gerar efeitos colaterais.

Isso acontece porque a versão dessa substância não contém base alcoólica e, por isso, é uma opção válida para quem tem alergia ou hipersensibilidade a esse elemento.

No mais, o Minoxidil em espuma também permite uma secagem mais rápida e uma aplicação mais fácil.

CLIQUE PARA ADQUIRIR SEU MINOXIDIL!

Você sofre com a calvície precoce feminina?

Qual a melhor forma de tratamento para você?

Como prevenir e tratar queda de cabelo na menopausa?

Dúvida? Opinião? Escreva um comentário